Entre castelos e muralhas, montes e vales, há uma infinitude de lugares por descobrir no território das Aldeias Históricas de Portugal. É nas imediações destas aldeias que encontramos a nascente e a foz do Rio Côa – um percurso que vale a pena percorrer, pelos belíssimos caminhos do interior da região Centro de Portugal.

Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso. Para além dos seus centros históricos, museus e praias fluviais, há muito para conhecer nas Aldeias Históricas de Portugal, um destino que são 12. Há mil e uma formas de percorrer o território e, em cada uma delas, um sem fim de descobertas à nossa espera.

Um dos mais interessantes passeios que se podem realizar à volta das Aldeias Históricas de Portugal é o percurso que acompanha o Rio Côa, da sua nascente até à foz, com passagem por cinco Aldeias Históricas de Portugal, várias outras estruturas muralhadas, dois complexos termais e pelo Museu do Côa. Este é um percurso circular, com cerca de 246 km de extensão, para o qual se recomenda ter a máquina fotográfica ou o telemóvel com a bateria carregada a 100% e os cartões de memória com bastante espaço disponível, já que as paisagens deste caminho são de uma beleza irresistível para qualquer amante ou profissional de fotografia.

Para desfrutar deste passeio em todo o seu esplendor, recomenda-se que pernoite numa das Aldeias Históricas por onde irá passar: Almeida, Castelo Rodrigo, Marialva, Castelo Mendo ou Sortelha. Caso queira parar para conhecer estas cinco Aldeias Históricas e algumas das localidades por onde passa este percurso, precisará de pelo menos quatro dias para o percorrer. Se o objetivo for apenas acompanhar o curso do Rio Côa, sem paragens, conte com três dias de viagem.

Fóios, Sabugal. Foto de / Photo by João Cosme.

Para percorrer de automóvel, este percurso começa no Sabugal, onde descobrimos o único Castelo de cinco quinas em Portugal. Segue-se, então, por Quadrazais, Vale de Espinho, e Fóios – onde encontramos a nascente do Rio Côa. Atravessamos as localidades de Aldeia do Bispo e Aldeia Velha (onde irá passar por uma belíssima ponte, por onde corre o Rio Cesarão, um afluente do Rio Côa) até entrar na EN233-3, em Alfaiates. Aconselha-se, aqui, uma paragem, para conhecer o Castelo de Alfaiates.

Serra de Mesas, nascente do Côa / Côa spring. Foto de / Photo by João Cosme.

A seguir, o Rio Côa leva-nos pela Rebolosa e Aldeia da Ribeira, até Vilar Maior – onde vale a pena parar para conhecer o Castelo. Seguimos por Malhada Sorda e Freineda (onde encontramos a casa que foi Quartel-general de Wellington), até ao cruzamento com a EN16, que nos leva a Castelo Bom. Nesta aldeia descobrimos um magnífico Castelo medieval, que merece a nossa visita.

Uma passagem antiga / An ancient foothpath over the river. Foto de / Photo by João Cosme.

De Castelo Bom seguimos pela EN332 até à Aldeia Histórica de Almeida, onde paramos para apreciar a Praça-forte e o magnífico centro histórico. De volta à EN332, passamos por Vilar Tropim até à Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, onde se aconselha sair do carro e passear pelas encantadoras ruas de Castelo Rodrigo, subindo até ao Castelo medieval.

De regresso à estrada, passamos por Convento de Santa Maria de Aguiar e Figueira de Castelo Rodrigo até voltar à EN332, que nos leva por Vilar de Amargo e Almendra, até Castelo Melhor – onde outro Castelo espera a nossa visita.

De seguida, passamos por Orgal, até chegar a Vila Nova de Foz Côa, onde encontramos a foz do Rio Côa e o Museu do Côa. Regressamos à estrada, seguindo caminho pela EN102, e passamos então por Muxagata, Longroiva (onde podemos parar para conhecer o Castelo), e pelas Termas de Longroiva, até chegar à Aldeia Histórica de Marialva. Uma vez em Marialva, não podemos deixar de parar para admirar os cantinhos da aldeia da lenda da donzela dos pés de cabra, assim como o seu Castelo.

Gravuras do Côa / Rock engravings in Côa. Foto de / Photo by: João Romba.

De volta aos caminhos do Rio Côa, passamos por Barreira, Gateira, Juízo, Azevo, Bogalhal, Valbom, parando apenas em Pinhel, para visitar o Castelo. Seguimos depois pela EN324 e atravessamos as localidades de Vale Verde e Leomil. Passamos então sobre a A25 e depois seguimos pela EN16, onde fazemos um desvio para a Aldeia Histórica de Castelo Mendo. Aqui vamos conhecer a lenda do Mendo e da Menda, o mistério que envolve duas pedras encrustadas em paredes da aldeia, que se assemelham a duas figuras humanas e que parecem os rostos de um homem e uma mulher, eternamente condenados a olhar-se de lados contrários da rua.

Voltamos de seguida à EN16 e à EN324, passando por Parada, Cerdeira do Côa, Perofico, Termas do Cró e Rapoula do Côa (onde se aconselha uma visita à praia fluvial), até regressar ao ponto de partida desta viagem, a vila do Sabugal. Daí, partimos até à Aldeia Histórica de Sortelha, a última paragem da nossa aventura, último vislumbre do caudal do Côa e passeio por esta magnífica Aldeia Histórica.

Por estas localidades, descobrimos o Rio Côa em todo o seu esplendor, que refresca e embeleza as paisagens dos territórios envolventes das Aldeias Históricas de Portugal – o primeiro destino em rede, a nível mundial, e o primeiro destino nacional a receber a certificação BIOSPHERE DESTINATION. Um percurso que faz as delícias de aventureiros, que descobrem os caminhos de natureza selvagem deste território, e de amantes de História, que durante esta aventura vão colecionando castelos e muralhas com mil e uma estórias por contar.